Páginas

sábado, 10 de dezembro de 2016

Falsos cognatos




Rainha 'h6' na cabeça!
No estudo de línguas estrangeiras, precisamos estar atentos para não cair nas armadilhas dos falsos cognatos, palavras de grafia parecida, às vezes de mesma origem, mas na língua materna tem um significado e na língua estrangeira tem outro muito diferente.

Há muitos exemplos famosos de falsos cognatos entre os idiomas português e espanhol, diversos comerciais de TV exploram com bom humor possíveis confusões.

No xadrez pode acontecer um fenômeno parecido, quando alguém confunde padrões táticos. Por exemplo, há posições com uma configuração muito semelhante de peças chave, porém com pequenos detalhes que fazem toda a diferença. Não raramente, o jogador é enganado pela semelhança, uma vez que os circuitos neurais para reconhecimento de padrões são muito mais rápidos que os circuitos de análise convencional de jogadas e, nem bem começa a pensar, já está com a mão na peça, movendo no puro instinto, pela semelhança com um padrão tático conhecido.

Aconteceu esses dias com Isaias, numa partida rápida. Ele havia acompanhado o desfecho do match pelo campeonato mundial Carlsern × Karjakin e estava maravilhado com o lance final do campeão:

Carlsen x Karjakin WCC2016 m16. Posição após 49. ... Rh7.

Carlsen jogou 50. Dh6!, com xeque mate na próxima jogada, não importa a resposta de Karjakin, que abandonou.

Terminar um campeonato mundial com sacrifício de Dama foi um incentivo e tanto para os aficionados do mundo inteiro, inclusive para Isaias que estava há um tempo parado e resolveu jogar umas partidas rápidas no clube.

Ele estava com fome de xadrez, lembrando os velhos reflexos, sobretudo inspirado pelos lances do campeonato mundial. Numa das partidas, apareceu a posição abaixo, Isaias, com as peças brancas, tinha a vez de jogar, pode dar mate em duas jogadas!

Brancas jogam e dão mate em 2. Se pretas jogam, dão mate em 2.
Isaias arregalou os olhos e, num rápido disparo neural, percebeu semelhança absoluta com a posição final do campeonato do mundo (Torre na oitava, peão branco em h5, Rei preto indefeso em h7, Dama mirando h6), e jogou sem nem sentir: 1. D×h6?? ao qual o adversário, feliz, respondeu com 1. … g×h6. Isaias, contrariado, ainda tentou 2. Cg6, mas foi surpreendido com o fatal contra-ataque preto 2. … Th3+! 3. B×h3 Dh2#.

A audiência começou logo a brincadeira, dizendo que Dh6 não é pra qualquer um! Mas pior foi quando ele descobriu que tinha mate simplesmente com 1. Dg6+! f×g6 2. h×g6#. Fora enganado pelo falso cognato tático!

No caminho de casa, Isaias pensou: “Agora eu sei como Karjakin se sentiu quando não viu 20. … C×f2 na 10ª partida...”. E acabou por se consolar: “Até grandes mestres têm seu dia de capivara"!


5 comentários:

Paulo Vilela disse...

Mais um ótimo texto Rewbenio! Parabéns!
Uma pequena correção: o lance de Carlsen foi Dh6+! e não Dxh6!
O blog está ótimo!
Abraço.

ALVARO PERES disse...

Rewbenio, outro pequeno erro de digitação. 2. Cg5 é um lance irregular!
Abs

Rewbenio Frota disse...

Obrigado, mestre Álvaro!

Rewbenio Frota disse...

Obrigado pela ajuda, Paulo! Como andam os escritos?

Ozymandias Realista disse...

Isaías foi o mesmo daquela história que venceu o jogo e levou a planilha para casa emoldurada? Do "Peça tocada"...