Páginas

domingo, 19 de abril de 2015

As trigêmeas de Gotemburgo




E. Geller x O. Panno
P. Keres x M. Najdorf
B. Spassky x H. Pilnik
Gotemburgo, 6-9-1955
Posição após 10. ... Cfd7
Esta posição ficou famosa não por uma partida, mas por três! As três jogadas simultaneamente no mesmo torneio (o Interzonal de Gottemburg, em 1955), na mesma rodada, sendo todos os três jogadores das peças brancas soviéticos e os três jogadores das peças pretas argentinos! Tratava-se, então, de um duelo inusitado entre as duas mais fortes nações enxadristas na época (União Soviética e Argentina foram, respectivamente, Ouro e Prata na Olimpíada de Xadrez em 1954). Dos 6 envolvidos nas 3 partidas, apenas Pilnik jamais foi campeão mundial ou candidato a campeão do mundo.

Um dos argentinos era Miguel Najdorf, polonês naturalizado, criador de uma famosa variante da Defesa Siciliana que leva seu nome, e que foi jogada nas três partidas. Acontece que os argentinos tinham preparado na véspera um novo lance (9. ... g5) com o qual contavam surpreender aos soviéticos. Uma tarefa nada fácil!

Geller foi o primeiro a descobrir a refutação para a novidade portenha, após meia hora de reflexão, e foi seguido depois por Spassky e Keres, que precisaram pensar por cerca de uma hora. O curioso é que Najdorf e Pilnik (alemão naturalizado argentino) foram, alegremente, acompanhar a partida entre Geller e Panno, depois que perceberam que os soviéticos todos entraram na variante preparada. Enquanto isso, seus respectivos adversários checavam com análises, cada um no seu tabuleiro, se o lance de Geller era correto. Neste momento, segundo nos conta o próprio Geller, Najdorf, teria cochichado para ele: “Sua partida está perdida, nós já analisamos tudo isso!”.

Após as três próximas jogadas de Geller, os dois argentinos voltaram para suas mesas, desanimados. O grande teórico soviético havia descoberto a falha na análise dos argentinos, e seus compatriotas não tardariam a fazer os mesmos lances.

A partir da posição acima, Geller jogou: 11. Cxe6! fxe6 12. Dh5+ Rf8 até aqui os argentinos estavam confiantes em sua análise caseira, mas veio a refutação em dois tempos. 13. Bb5! Ce5 14. Bg3! ... os argentinos tinham previsto somente 14. 0-0+ Rg8 15. Bg3 hxg5 com boa posição, mas a sútil alteração de ordem das jogadas deixa as pretas sem esperanças. Najdorf e Pilnik se desviaram da partida de Geller e Panno após o 13º lance.

A variante proposta pelo trio argentino só seria ressuscitada três anos depois, quando Fischer empregou 14. ... Th7!, conseguindo empatar a partida para as pretas.

Um comentário:

Francisco J. A. de Aquino disse...

Sempre com uma postagem muito didática e curiosa! Parabéns!