Páginas

domingo, 20 de março de 2011

Lógica, álgebra e xadrez: solução do estudo de Vasilenko e Frolkin 1995




Finalmente, matando a curiosidade de todos, mostrarei as soluções e a fonte do estudo que foi tema dos dois últimos tópicos deste blog. Trata-se de um estudo composicional de análise retrógrada de Vasilenko e Frolkin, de 1995, que encontrei citado numa coluna do Prof. Christian Hesse para o site do Chessbase intitulada “Chess is more complete than life” (O xadrez é mais completo que a vida) e foi já transcrita em espanhol para uma página argentina.

Agora vamos às soluções:

Vasilenko e Frolkin, 1995 - Posição original: brancas jogam e dão mate em 2 lances.
  1. Posição original - É mate após 1. Rd3+ g5 (único) 2. hg6 e.p. #
  1. Posição original com um lance branco e um negro a frente - Aqui o estudo traz a seguinte solução, orientada sob a ótica da composição enxadrística: imagina-se a posição após 1. Rd3+ g5 seja mostrada para uma pessoa que não viu a posição inicial. Ela não saberá, portanto, se é possível fazer 2. hg6 e.p., de forma que, descartando esse lace, a posição é novamente de mate em 2 jogadas.

    Posição com 1 lance branco e 1 lance negro à frente: brancas jogam e dão mate em 2 lances. 
    A solução é bastante bela 1. Bb2 gh4 (única defesa contra 2. Bg7#) 2. Bc1#
  1. Posição original retrocedendo um lance branco e um negro - Aqui é necessário um esforço maior para descobrir como esse rei braco ficou em xeque. O bispo negro há tempos já deveria estar na cada b6, e o rei branco, quando foi para e3, obviamente não estava ameaçada pelo bispo. Assim, deveria haver uma peça entre o bispo e o rei, pensando mais um pouco descobre-se que tinha de haver um peão em c5, que moveu-se a para c4 dando xeque no rei branco em e3. Mas espere, ainda não terminou, se assim fosse como é que não existe peão negro em c4 e sim em d3? Chegamos, portanto, à conclusão de que houve uma tomada en passant … cd3 e.p. + para se chegar à posição inicial do problema e, portanto, havia um peão branco em d2 que moveu-se para d4 permitindo a tomada cd3 e.p. +. Assim se, a partir da posição original, retrocedemos o último lance negro e o último lance branco: -1... cd3 e.p. + -2. d4 chega-se a uma nova posição em que as bancas jogam e é mate em 2 lances novamente!

    Posição retrocedendo 1 lance branco e 1 lance negro: brancas jogam e dão mate em 2 lances. 
    A solução desta vez é: 1. Rf4 g5+ (único contra 2.g5#) 2. hg6 e.p. #.

2 comentários:

telmo flores disse...

é, isso mesmo o rei branco dá mate no rei preto.....capivarice, por isso que eu não estudo, pra não ficar burro assim, no último caso a tomada em e.p. dá mate de rei no rei....cada uma............

telmo flores disse...

retiro meu comentário, entendi o macete, bacana mesmo, vlw